Crítica: Invasão Zumbi

Busanhaeng, Coréia do Sul, 2016


Terror se destaca graças ao aspecto emocional

★★★★☆


Em Invasão Zumbi, um grupo de pessoas fica preso em um trem enquanto uma infecção zumbi atinge várias cidades sul-coreanas. O protagonista Seok Woo (Gong Yoo) é um gerente de fundos de investimento e pai divorciado que está levando sua filha Soo-an (Soo-an Kim) para ver a mãe na cidade de Busan. Quando a infecção atinge o interior do trem, ele se junta a Sang Hwa (Dong-seok Ma) e Gook (Woo-sik Choi) para resgatar sua filha e a esposa grávida de Hwa. O filme fez bastante sucesso em vários países asiáticos e conseguiu distribuição em vários países ocidentais, se tornando um grande sucesso de crítica.

invasaozumbi

Em sua primeira metade, Invasão Zumbi é um filme de gênero sem muito a adicionar. Depois de uma introdução padrão e eficaz, na qual Woo é o típico pai cuidadoso mas ausente, os personagens passam a lutar para sobreviver a hordas de zumbis dentro do trem e em uma estação na qual eles fazem uma parada. As cenas de ação são muito boas e fazem um ótimo uso do espaço limitado do trem, chegando a lembrar Expresso do Amanhã em alguns momentos, o que certamente já o deixa acima da média nesse critério, ainda que não imune a algumas falhas.

Mas é da metade pra frente que Invasão Zumbi realmente de destaca, a começar por um dos temas centrais do filme: o individualismo. O próprio Woo tenta convencer sua filha a agir de maneira menos altruísta e priorizar a própria sobrevivência. Porém, depois que outras pessoas se colocam em perigo para salvá-los, ele percebe que tem mais chances de sobrevivência se trabalharem juntos. Entra então o personagem de Yong-Suk (Eui-sung Kim), um egoísta empresário que está disposto a sacrificar quem quer que seja para garantir a própria sobrevivência. Ele complica ainda mais a situação e dificulta a sobrevivência de todos os outros personagens, e é um dos principais antagonistas da produção.

Há aí um comentário social: é decepcionante ver a facilidade com a qual, em mais de uma ocasião, Yong-Suk convence um outro grupo de sobreviventes a deixar o grupo de Seok Woo abandonado à própria sorte. É de se esperar que em uma situação tão extrema as pessoas tomem decisões que visem garantir a própria sobrevivência, mas há aqueles que se mantém racionais e aqueles que deixam um pavor irracional tomar o controle. De um ponto de vista extremamente individualista, as decisões de Yong-Suk fazem sentido, pois, independente do quão baixos e sórdidos sejam seus atos, a sua própria sobrevivência vai sendo garantida, ao contrário da de muitos outros. Porém, ele falha em observar que quanto mais pessoas ele vai sacrificando menores vão se tornando suas próprias chances de sobrevivência, seja no curto, médio ou longo prazo.

O outro destaque do filme está em seus momentos finais, que são genuinamente dramáticos e emocionantes. Graças a personagens profundos e bem construídos, além das ótimas atuações, o espectador realmente sente a dor de cada perda. Várias das mortes são causadas pelo egoísmo dos outros personagens, o que aumenta em várias vezes a dimensão de cada tragédia. Dentre as atuações, nas quais até alguns dos coadjuvantes impressionam, o destaque fica para a pequena Soo-an Kim, que domina os momentos finais e parte o coração do espectador mais de uma vez durante o filme. Essa alta qualidade na construção dos personagens com certeza é um dos principais motivos do sucesso mundial da produção.

Combinando ótimas cenas de ação com um nível de sensibilidade talvez jamais visto em filmes desse sub-gênero, Invasão Zumbi é uma joia rara que realmente merece toda a atenção que vem recebendo.